Natura

Tommy

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Bora Ver ?

Dica Cultural

Oláááá! Bom final de semana a todos! Bora ver o que está acontecendo no meio cultural paulistano e fazer nossa programação? Teatro, cinema, shows, musicais, exposições, enfim, uma gama de opções bacanas para todos os gostos. Claro, os eventos gratuitos não podem faltar. Afinal, a alma tem sede de cultura e mente de conhecimento. Conhecer coisas novas é um crescimento. Muitas vezes pode ser um renascimento. Renascimento intelectual. Enriquecimento do saber, faz bem a alma, divertir-se faz bem ao coração.Alegrar-se com prazer. Afinal nem só de pão vive o homem. A saúde é fundamental, mas  precisamos ter fé, coragem e saber. O saber vem do conhecimento adquirido, das nossas vivencias. A gente aprende vivendo, fazendo, ouvindo,lendo, assistindo, vendo. Bora ver ?

Teatro

<p> 'Cais ou da Indiferença das Embarcações': uma das peças com mais indicações ao prêmio Shell 2013 tem 3 horas de duração</p>

Cais ou da Indiferença das Embarcações

Resenha por Dirceu Alves Jr.
No fim de outubro de  2012, a montagem da Velha Companhia estreou de mansinho no Instituto Cultural Capobianco. Fez-se, então, um boca a boca em torno do drama épico escrito e dirigido por Kiko Marques. Algo compreensível não apenas por sua história arrebatadora, que enfoca três gerações de uma família, mas também pela forma como a encenação simples reproduz a trama ambientada na Ilha Grande, no litoral fluminense. No fim da década de 20, a garotinha Magnólia (Tatiana de Marca) conhece um rapaz crescido (o ator Marcelo Marothy), e os dois se apaixonam. A Revolução de 30 e o Estado Novo afastam a possibilidade de um reencontro, e ela se casa com outro. Quem traz essa história à tona — e suas consequências trágicas — é o ator Walter Portella, na pele de um narrador que representa um barco. Efeitos especiais ou recursos sofisticados são dispensados. Em cena estão dois músicos e doze atores, entre eles entre eles Alejandra Sampaio, Marcelo Diaz, Marcelo Laham, Maurício de Barros, Virgínia Buckowski, Patrícia Gordo e o autor e também diretor. Estreou em 29/10/2012. Até 11/8/2014.

Local: Ofina Cultural Osvald de Andrade
Rua Três Rios, 363 - Bom Retiro - São Paulo - SP - Tel.: (11) 3222 2662
Segunda, terça, sexta e sábado, 19h.
É GRÁTIS !
Ingressos distribuídos meia hora antes.

Cinema

<p> 'O Lobo Atrás da Porta': Leandra Leal e Milhem Cortaz, amantes com segredos e mentiras</p>

O Lobo Atrás da Porta

Resenha por Miguel Barbieri Jr.
Gênero raro no cinema nacional, o suspense dramático ganha clima tenso, emoção crescente e desempenhos formidáveis neste longa-metragem de estreia do cineasta Fernando Coimbra. A trama já começa de forma impactante. Na delegacia, Sylvia (Fabíula Nascimento) está desesperada porque sua filha foi levada da escola por uma estranha. O encarregado do caso (papel de Juliano Cazarré) chama, então, o marido dela para depor. Depois de se esquivar de perguntas íntimas, Bernardo (Milhem Cortaz) confessa que tinha uma amante, Rosa (Leandra Leal), mas que o relacionamento havia chegado ao fim. A principal suspeita é intimada a dar sua versão. No depoimento, a jovem diz ter sido obrigada por outra mulher a pegar a garota no colégio. Conforme o tempo passa, Rosa relembra como se envolveu com Bernardo e traz à tona traços de uma obsessão psicótica por trás da carinha meiga — e a impecável atuação de Leandra, escolhida a melhor atriz no Festival do Rio, colabora para tornar a personagem mais crível. Estreou em 5/6/2014.

Local: Frei Caneca Espaço Itaú Cinema

Exposição

<p> A Ressurreição de Lázaro, da série Bíblica: influência assumida de Pablo Picasso</p>

Exposição: Candido Portinari- Bíblica e Retirantes 

Resenha por Laura Ming
Em 1941, ao ficar impressionado com Guernica, a famosa tela de Pablo Picasso, na época em exposição no Museu de Arte Moderna de Nova York, Candido Portinari (1903-1962) decidiu trazer a força da pincelada cubista para seus trabalhos. O resultado pode ser observado na série Bíblica, composta de oito pinturas em tons de cinza, que retrata passagens do Novo e do Velho Testamento. A influência, tão clara, chega a sugerir certa falta de originalidade. Ainda assim, é tocante a dramaticidade de cada cena, em que sobram lágrimas e expressões de desespero, como em A Ressurreição de Lázaro (1944). As peças, exibidas no subsolo do Masp, aparecem junto de três obras da série Retirantes. Trata-se da mesma mostra que esteve em cartaz no Masp há pouco mais de um ano. São telas que valem ser vistas ou relembradas pela relevância do conjunto. A partir de 21/6/2014.

Local: MASP - A partir de 1º de agosto

Avenida Paulista, 1578 - Bela Vista - São Paulo - SP - Tel.: (11) 3251 5644
Terça, quarta, sexta a domingo e feriados, 10h às 18h; quinta, 10h às 20h.
A bilheteria fecha meia hora antes.
Ingresso: R$ 15,00
Grátis às terças para todos os visitantes; nos demais dias, grátis apenas para menores de 10 anos e pessoas com mais de 60.

Fonte: http://vejasp.abril.com.br/