Natura

Tommy

sábado, 8 de março de 2014

08 de março- Dia Internacional da mulher !

Apenas um dia para homenagear as mulheres de todo o mundo é pouco. É muito pouco. Diante de toda sua luta para conseguir  ter espaço respeitável na sociedade. Para ter direito ao voto. Direito a igualdade. A mulher abriu fronteiras, onde apenas os homens reinavam. Até bem pouco tempo sua única profissão era ser do lar, quem nem era considerado profissão. Na cabeça dos homens era um luxo. Era comum ouvi-los dizer: "Não me incomode com suas lamúrias, você não tem problemas. Passa o dia inteiro em casa. Deixe-me em paz, pois trabalhei a semana inteira, mereço descansar."
Muitas mulheres inquietantes, saíram do lugar comum, se mexeram e quebraram tabus. Hoje é bastante comum ver mulheres atuando em profissões consideradas apenas masculinas. Motoristas de ônibus, pilotam aviões, estão na construção civil, dirigem altos cargos executivos. E as mulheres que são arrimo de família? É grande o número de mulheres que sustentam suas casas e filhos sozinhas. Sem contar que , além de trabalharem fora, fazem todo serviço doméstico e criam seus filhos sem o apoio dos seus ex companheiros. Por outro lado, as mulheres conquistaram seu espaço no mundo, a liberdade sexual, o direito de fazer o que quiserem da sua vida. No entanto, ainda há aqueles que lhes apontam o dedo.
Todos nós sabemos que ainda existem países onde as mulheres são consideradas seres inferiores, devendo obediência aos homens, são sacrificadas a uma vida de submissão  e humilhação . Primeiro pelos seus pais e depois por seus  maridos. Condenadas a uma vida que não escolheram. Aquelas que ousaram desobedecer, foram ultrajadas e mortas em praça pública. Em praça pública por que? Para amedrontá-las. Era uma ameaça velada, deixando bem claro que o mesmo aconteceria com quem desobedecessem as regras.
Meninas que deveriam estar brincando de bonecas, são oferecidas a homens velhos como esposa. Outras sofrem mutilação dos orgãos genitais! É tanta crueldade ainda existente contra a mulher, que, não dá para comemorar a data cem por cento com alegria. No Brasil, sabemos que a mulher ainda não é totalmente valorizada pela sua competência profissional. É sabido que o salário da mulher é inferior ao dos homens, mesmo ela exercendo a mesma profissão. Já tivemos grandes avanços, é verdade, mas ainda não chegamos verdadeiramente a igualdade merecida e reconhecida profissionalmente.  O que não quer dizer que estamos acomodadas ou satisfeitas com o que já conquistamos. Enquanto houver no mundo, uma mulher sofrendo maus tratos, sendo obrigada a se submeter  aos homens, não poderemos comemorar com cem por cento de alegria.
Leiam abaixo matéria sobre algumas  mulheres que marcaram épocas e fizeram história. Aproveito para parabenizar  todas as mulheres que, de uma forma ou de outra, fazem história no seu dia-a- dia. Mulheres de coragem, talentosas, fortes, mas com o coração cheio de amor! Parabéns lindonas!
Paula Rempel

21 mulheres mais destacadas da história

Cora Coralina, poetisa: Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas (1889—1985) era uma mulher simples, doceira de profissão, tendo vivido longe dos grandes centros urbanos, alheia a modismos literários, produziu uma obra poética rica em motivos do cotidiano do interior brasileiro, em particular dos becos e ruas históricas de Goiás.


21 mulheres mais destacadas da história

Maria Quitéria, militar: Maria Quitéria de Jesus (1792-1853) foi uma militar brasileira, heroína da Guerra da Independência. Considerada a Joana D'Arc brasileira, é a patronesse do Quadro Complementar de Oficiais do Exército Brasileiro. Vestiu-se de homem para alistar-se no exército. Morreu aos 61 anos no anonimato nos arredores de Salvador.

21 mulheres mais destacadas da história

Anita Garibaldi, revolucionária: Ana Maria de Jesus Ribeiro (1821-1849), foi a companheira do revolucionário Giuseppe Garibaldi, sendo conhecida como a "Heroína dos Dois Mundos". Ela é considerada, até hoje, uma das mulheres mais fortes e corajosas da sua época.

21 mulheres mais destacadas da história

Maria Curie, cientista: Maria Sklodowska (1867-1934) tomou o sobrenome de seu marido, Pierre Curie. Por sua nação de origem, Polônia, deu nome a um elemento químico. Pioneira no estudo da radioatividade, obteve dois prêmios Nobel.

21 mulheres mais destacadas da história

Mata Hari, espiã: Margaretha Geertruida Zelle (1876-1917) serviu-se de sua capacidade de sedução para trabalhar como espiã dos franceses para o Governo alemão. Um tribunal francês ordenou que fosse fuzilada por alta traição.

21 mulheres mais destacadas da história

Carmen Miranda, cantora e atriz: Maria do Carmo Miranda da Cunha(1909-1955) foi uma cantora e atriz luso-brasileira e precursora do tropicalismo. Carmem foi a maior celebridade em sua época, algo como Britney hoje. Encontraram na morta no quarto de sua casa em Beverly Hills após colapso cardíaco fulminante por causa da sua dependência de barbitúricos.


21 mulheres mais destacadas da história

Teresa de Calcutá, missionária: Gonxha Agnes (1910-1997) fundou a congregação Missionárias da Caridade para ajudar aos pobres. Dois anos após sua morte, João Paulo II abriu a causa de sua canonização. Recebeu o Nobel da Paz em 1979.


21 mulheres mais destacadas da história

Indira Gandhi, política: Filha de Jawaharlal Nehru, o primeiro premiê da Índia, foi Primeira Ministra de seu país em duas ocasiões até seu assassinato em outubro de 1984. Estrategista e pensadora política brilhante.


21 mulheres mais destacadas da história

Irmã Dulce, religiosa: Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes (1914—1992), melhor conhecida como o Anjo bom da Bahia, foi uma religiosa católica brasileira que notabilizou-se por suas obras de caridade e de assistência aos pobres e aos necessitados.


21 mulheres mais destacadas da história

Evita Peron, política: Marcada por uma infância no campo e filha não reconhecida, Eva (1919-1952) trabalhou como atriz, modelo e locutora e se casou com o presidente argentino Peron. Lutou pelos direitos dos trabalhadores e da mulher.


21 mulheres mais destacadas da história

Leila Diniz, atriz: Leila Roque Diniz (1945—1972), conhecida como a "Mulher de Ipanema", defensora do amor livre e do prazer sexual é sempre lembrada como símbolo da revolução feminina , que rompeu conceitos e tabus por meio de suas idéias e atitudes. Morreu num acidente aéreo aos 27 anos, no auge da fama, quando voltava de uma viagem feita para a Austrália. Sua amiga, a atriz Marieta Severo e o compositor e cantor Chico Buarque de Hollanda criaram a filha de Leila.


21 mulheres mais destacadas da história

Diana de Gales, princesa: Conhecida como a princesa do povo (1961-1997) por sua atitude solidária com os mais desfavorecidos, esteve casada com o príncipe Charles, com quem teve os príncipes William e Harry. Morreu ao lado do namorado em um controvertido acidente de trânsito quando fugia da perseguição de paparazzis.


21 mulheres mais destacadas da história

Você, filha, amiga, namorada, amante, esposa, mãe, heroína: Suas palavras acarinham, seus carinhos embevecem, seu sorriso ilumina o dia escuro, seu amor é o sol que aquece... seu colo é o sonho de um menino que de proteção carece.

Fonte das imagens e histórias dessas mulheres: http://www.mdig.com.br/?itemid=2336